FEDERAL INVEST É DESTAQUE NO JORNAL VALOR ECONÔMICO COMO UMA DAS MELHORES OPÇÕES DE FRANQUIA DE CRÉDITO

FEDERAL INVEST É DESTAQUE NO JORNAL VALOR ECONÔMICO COMO UMA DAS MELHORES OPÇÕES DE FRANQUIA DE CRÉDITO

FEDERAL INVEST É DESTAQUE NO JORNAL VALOR ECONÔMICO COMO UMA DAS MELHORES OPÇÕES DE FRANQUIA DE CRÉDITO

Franquias de crédito são novo mercado
Por Jacilio Saraiva | Para o Valor, de São Paulo

O mercado de franquias de crédito no Brasil ainda é pequeno e há oportunidades para novos investidores. Segundo Ricardo Camargo, diretor da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento representa menos de 1% do total das redes e 0,4% do volume de unidades franqueadas. “São apenas 216 lojas ante 58,9 mil pontos de marcas associadas à ABF.” O número de franqueadoras do setor cresceu de quatro, em 2010, para sete empresas em 2012. As lojas oferecem produtos como crédito consignado, pessoal e imobiliário, além de serviços de factoring.

As franqueadoras são companhias jovens, com pouco mais de dez anos de mercado, que iniciaram os sistemas de franquia a partir de 2002. Os Estados com o maior volume de unidades são São Paulo, com 101 pontos ou 47% do total; seguido do Paraná, com 44 lojas (20%) e Goiás, com 13 empresas (6%). O investimento total em uma marca de crédito, que inclui taxa de franquia, verba para a instalação e capital de giro, vai de R$ 25 mil a R$ 367 mil, segundo quatro redes ouvidas pelo Valor .

Antes de optar por uma marca, deve-se observar os mesmos critérios usados para outros setores de franquia, segundo Camargo. “Verifique se a empresa cumpre as exigências dos órgãos reguladores e converse com outros franqueados para saber se estão satisfeitos.”De acordo com Cláudia Bittencourt, diretora do Grupo Bittencourt, especializado em negócios com franquias, é importante também checar o tipo de suporte oferecido pelo franqueador, as taxas de comissão praticadas e as parcerias com as instituições financeiras.”As empresas do segmento trabalham principalmente como intermediárias entre as instituições e o consumidor ou realizam atividade de factoring”, diz. “O principal serviço é pesquisar as melhores condições para o tomador do empréstimo, intermediando a obtenção do financiamento.”

Desde o ano passado, os bancos não podem operar por meio de franquias. A saída encontrada pelas empresas que desejam oferecer serviços financeiros foi criar franqueadoras independentes dos bancos, segundo Cláudia. Essas companhias criam operações padronizadas e negociam diretamente com as instituições. Trabalham na prospecção de clientes, mas não efetivam a venda do serviço, a cargo do setor financeiro.”Para o mercado de crédito, as franquias proporcionam capilaridade, permitindo chegar a cidades onde o investimento em uma unidade própria não seria atrativo”, diz. É o caso da Vazoli, que optou pela expansão em localidades do interior, contando hoje com 37 unidades em São Paulo, Minas Gerais, Sergipe e no Distrito Federal.

De acordo com Eric Vaz de Lima, diretor de expansão da Vazoli Franchising, a rede abriu 20 unidades em 2011 e pretende encerrar 2012 com 31 novos pontos, totalizando 62 lojas na rede. As franquias da marca, sediada em Olímpia (SP), começaram em 2009. Oferece produtos como crédito consignado, crédito pessoal e imobiliário para aquisição, reforma ou construção de moradias.”O valor do investimento total para novos franqueados varia de R$ 25 mil a R$ 70 mil, dependendo do número de habitantes da cidade onde a unidade for instalada. O negócio tem prazo de retorno de 12 a 24 meses e são recomendados dois funcionários por ponto. Segundo Lima, o faturamento médio de uma loja, ao mês, em municípios de até 50 mil habitantes, é de R$ 17 mil – valor da comissão sobre intermediação de negócios tendo como base um volume de vendas de R$ 130 mil.

Com 75 unidades em 17 Estados e no Distrito Federal, mais dez lojas em fase de instalação, a Federal Invest atua no setor de factoring. Trabalha com antecipação de recebíveis, por meio da compra de títulos de crédito, como cheques e duplicatas.
O franqueamento da marca começou em 2002, segundo Renato Junqueira, presidente do Grupo Federal Invest, com sede em Registro (SP). A rede inaugurou este ano a primeira unidade internacional, em Connecticut, nos EUA. “A previsão é abrir mais 12 lojas até o final do ano e continuar a expansão no exterior, chegando a Portugal e Moçambique, ainda em 2012.” O investimento total na marca é de R$ 367 mil por ponto, com prazo de retorno de seis a 12 meses. Segundo Junqueira, o faturamento médio por unidade, ao ano, é de R$ 7,5 milhões.

Criada em 2006 pelos acionistas do Grupo Infinite, a Knox Invest atua na área de factoring e procura empreendedores que já atuam no mercado financeiro ou querem mudar de bandeira. Com operações voltadas para MPEs, iniciou o franqueamento em 2010 e tem cinco unidades em São Paulo, Minas Gerais e no Espírito Santo. A estimativa é abrir seis lojas em 2012.De acordo com o diretor comercial Jorge Issa, franqueados podem entrar na rede com dois tipos de adesão. A versão convencional, de R$ 345 mil, e a “home based”, que dispensa a contratação de funcionários, a partir de R$ 285 mil. O faturamento médio por unidade, ao ano, é estimado em R$ 250 mil.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.